Etiquetas

, , ,

viver-e-morrerFoi o saudoso Rubem Alves quem, quando perguntado se tinha medo da morte, disse que não temia morrer, mas sentia pena, porque viver é muito bom.

A morte é a maior invenção da vida, já disseram. É por ela que o novo entra no mundo. Porém, nenhuma morte pode ser pior do que morrer vivendo, a desgraça de morrer e continuar vivo. Morrer em vida, sabe?

Morro em vida quando deixo de celebrar a preciosidade de uma amizade, tanto as boas e antigas, como as novas e promissoras; quando não divido uma cerveja, quando não oportunizo bons encontros;

Morro em vida quando deixo de amar por temer a dor de amar, de querer, por temer não ser correspondido, quando o passado engessa o presente e o futuro nasce morto; morro quando resisto ao amor, pois o outro é diferente de mim, ignorando a poesia da vida, de que os “opostos se distraem, os dispostos se atraem” (Fernando Anitelli), pois amar é o que dá sentido à vida;

Morro em vida quando deixo de celebrar conquistas, próprias e alheias, de celebrar a graça das coisas simples, quando deixo de ser criança e perco a sensibilidade de perceber os detalhes do existir; morro quando, acompanhado numa corrida, prefiro o fone de ouvidos aos ouvidos abertos;

Morro em vida quando o domingo termina e não visitei minha comunidade de fé, não abracei meus irmãos, quando não fui ao Estádio sofrer, digo, torcer, ou não peguei uma sessão de Cinema ou uma Peça no Teatro;

Morro em vida quando deixo de celebrar a família, quando ignoro, sem ponderar, o conselho dos meus pais, quando não anseio por conversas com minha avó à mesa – ela faz uma polenta com frango e quiabo divinos-, quando deixo de brincar com meus sobrinhos porque estou ocupado, rolando a “TL” de uma das tantas mídias sociais;

Morro em vida quando evito uma conversa só porque o outro pensa diferente, quando me vitimizo, quando deixo de reconhecer minha precariedade, que sou durão, mas dentro de mim também habita um menino frágil, ansioso por aprender;

Viver é tão prazeroso, mas, não sei por quê, morrer parece sempre mais fácil.

Anúncios